Síndrome de West é um tipo raro de epilepsia.

A atriz Isabel Fillardis com Jamal e a filha Analuz Foto: Ricardo Leal / Divulgação

          A síndrome de West é um tipo raro de epilepsia, que provoca atraso no desenvolvimento da criança. Em geral, começa a se manifestar no primeiro ano de vida, sendo o sexo masculino o mais afetado. As convulsões que a doença apresenta são chamadas de mioclonias e podem ser de flexão ou de extensão. São como se, de repente, a criança levasse um susto e quisesse agarrar uma bola sobre o seu corpo.
          Os espasmos da síndrome de West são diferentes para cada criança. Podem ser tão leves no início que não são notados ou pode-se pensar que são cólicas. Estes espasmos (movimentos descontrolados causados por excesso de atividades elétricas no cérebro) duram alguns segundos e o paciente pode soltar um grito enquanto ocorrem. O número de convulsões pode chegar a cem por dia.
          A atriz Isabel Fillardis fundou em 2003 a ONG Força do Bem para ajudar famílias que lidam com deficiências. O filho dela, Jamal, hoje com 10 anos, tem a doença.
          Segundo a fisiatra Sandra Martins, da Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação, a síndrome pode ter origem desconhecida, como é o caso de Jamal, ou ser causada por doenças como meningite:
          — A síndrome provoca um atraso no desenvolvimento da criança. Sabe quando falta luz e o computador apaga alguns dados? É mais ou menos isso: a cada crise, a criança apaga as últimas coisas que aprendeu.
          Segundo ela, quanto mais precoces o diagnóstico e o tratamento, maiores as chances de se controlarem as crises:
          — Mas se isso for feito tardiamente, pode ocorrer retardo mental. E se não for feito, a criança pode desenvolver uma síndrome mais grave ou ter lesões cerebrais fatais.

Jamal com Isabel Fillardis e a irmã Analuz Foto: Marcos Ramos / O Globo